Logo

Atendimento de segunda a sexta, das 08:00 às 17:00.




Sindicato volta à Tribuna da Câmara por salários atrasados dos servidores

Sindicato volta à Tribuna da Câmara por salários atrasados dos servidores

Na noite de segunda-feira, 26, a ex-presidente e atual tesoureira do Sindicato dos Servidores Municipais de São Sebastião do Paraíso (SEMPRE), Maria Rejane Tenório de Araújo Santos, fez usou da Tribuna Livre durante a Sessão Ordinária da Câmara para falar sobre os salários dos funcionários da Prefeitura, que continuam atrasados.

Pela terceira vez no mês de novembro o SEMPRE foi até a Casa Legislativa para tratar sobre o assunto. Rildo Domingos e Regina Nunes, respectivamente presidente e secretária-geral da instituição, também usaram a tribuna para falar sobre a situação dos servidores ativos e inativos da Prefeitura.

Durante seu pronunciamento, a tesoureira disse que as medidas de contenção de gastos tomadas pela Prefeitura na última semana “chegou um pouco tarde e não será suficiente para quitar as folhas salariais de novembro e dezembro” dos servidores. Todavia, de acordo com Maria Rejane, o decreto (que deve ser publicado nos próximos dias) é bem-vindo e traz esperanças ao funcionalismo público, mesmo que ainda não seja suficiente para sanar o problema.

A sindicalista ainda lembrou que muitos servidores ativos e inativos têm passado por dificuldades financeiras devido aos recentes atrasos de salários. “A população precisa saber que eles entraram no cheque especial, contraíram dívidas e podem ter água e luz cortadas por falta de pagamento. Infelizmente, mais uma vez, eles passaremos as festas de natal e de final de ano nessa tristeza”, comentou.

Maria Rejane também aproveitou a oportunidade para informar que o sindicato realizaria, na terça-feira, 27, duas assembleias. A primeira teria como objetivo a confecção da pauta de reivindicações para o ano de 2019; já a segunda trataria da falta de pagamento dos salários por parte da Prefeitura. “O servidor precisa lutar pelo seu direito. Temos que nos unir, não adianta apenas reivindicar nas redes sociais. Não dá para buscar ajuda do Poder Judiciário porque ele ‘dorme’, declarou a tesoureira.

Em seguida, a vereadora Cidinha Cerize perguntou se o SEMPRE havia sido informado pela Prefeitura a respeito do número de servidores comissionados de recrutamento externo seriam dispensados e qual seria o impacto financeiro que isso causaria nos cofres do Município. A tesoureira, porém, disse que não recebeu tal informação e que espera que os números sejam divulgados junto com a publicação do decreto. Ela ainda declarou que a promessa do prefeito é de demitir 50% dos servidores, contudo para o sindicato, esse número ainda é considerado baixo. “Nessa situação que estamos vivendo, acredito que deveriam manter 5% ou 10% dos funcionários contratos, no máximo”, completou.

O presidente da Câmara, Marcelo Morais, disse que o prefeito deveria ter se inteirado melhor da situação financeira do Município quando assumiu a Prefeitura em setembro de 2016, após renúncia do então prefeito Rêmolo Aloise. Disse ainda que as medidas para redução de gastos dos recursos públicos deveriam ter sido tomadas no início do mandato e não agora, dois anos depois.

Entre as medidas sugeridas para contenção de despesas, que foram elaboradas pelas comissões setoriais de servidores públicos a pedido do SEMPRE estão: exoneração de servidores comissionados de recrutamento externo; fusão de secretarias municipais; revisão dos contratos de terceirização; suspensão temporária do pagamento de gratificação a funcionários e a utilização dos recursos humanos disponíveis. 

 

Fonte: http://www.camarassparaiso.mg.gov.br/mostra-aconteceu.php?s=sindicato-volta-a-tribuna-da-camara-por-salarios-atrasados-dos-servidores